Search
  • DARA

A Maldição da Mansão Bly (NETFLIX) - Crítica



Finalmente chegou a continuação de “A Maldição da Residência Hill”, sucesso da Netflix. Agora, uma nova maldição, numa nova residência, com personagens completamente diferentes. A Maldição da Mansão Bly é muito mais que uma história de terror e fantasmas, é também uma história de amor.


Admito que sou uma fã alucinada de A Maldição da Residência Hill, e estava com altíssimas expectativas para sua antologia, que não decepcionou. Certamente diferente e com diferentes qualidades, Bly merece sua crítica sem influências da primeira maldição, então vamos à isso.


Na mansão Bly, os fantasmas não são apenas assombrações, são retratos de perdas, desejos, teimosias e uma gama de sentimentos humanos tantas vezes escondidos. Na mansão, vivem Flora e Miles, duas crianças cujos pais e babá morreram. As crianças vivem com Hannah, a governanta; Owen, o cozinheiro e Jamie, a jardineira. O tio das crianças, Henry, que é distante e evasivo, está em busca de uma au pair que possa se mudar para a mansão e cuidar da dupla e sua educação. A missão cai nas mãos de Dani, jovem norte americana que se mudou para Londres fugindo de seus próprios fantasmas. Dani é professora, e cuida das crianças com o coração aberto e identificação, se vendo nas crianças e se esforçando para trazê-los um senso de família e disciplina.


A assombração cresce lentamente, nos pegando aos poucos e progressivamente nos deixando saber que algo não está bem. É como uma doença silenciosa, mortal e à espreita. A série é construída pelas relações familiares, amorosas e de amizade que florescem dentro de uma casa marcada pela dor e pela perda, que esconde uma melancolia desesperada em seu terreno.


É um retrato que vai desde o amor que sobrevive em terrenos inférteis, à famílias que se escolhem e à toxicidade de um amor obsessivo que aprisiona à todos que se perdem em sua gravidade, com um tempero fantasmagórico inteligentíssimo, como é de se esperar de Mike Flanagan, o showrunner. Bly, assim como Hill House, é uma reverência e, ao mesmo tempo, uma completa inovação do gênero de terror, e assustador à sua própria maneira. O que é o terror senão as coisas para as quais temos medo de olhar? Os fantasmas que assombram os personagens de Bly são reconhecíveis, estranhamente familiares, como tantos que vivem dentro de nós. O medo indescritível de perder quem amamos, de ficarmos sozinhos, de olharmos para dentro. O que fazemos com esse medo? Quem somos, a partir das escolhas que fazemos com o monstro escondido na floresta dentro de nós?


A série está disponível na Netflix.

NAVEGUE

Todas as imagens de filmes, séries, artistas, editoriais e etc são marcas registradas dos seus respectivos proprietários e usadas aqui sem fins lucrativos.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now